sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Campeonato pela paz dos núcleos Torres de Melo e Belarmina Campos


Os núcleos Torres de Melo e Belarmina trabalharam em seu plano de ação comunitária com a temática violência. Foi organizado um campeonato de futebol pela paz. No ato da inscrição do campeonato, foi pedido um kg de alimento não perecível para cada participante. No final do campeonato, o time vencedor escolheu uma instituição de caridade para doar esses alimentos.













video

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

INSCRIÇÕEA PARA O CEFET

Galera, Vamos divulgar...


No dia 25 de Agosto haverá no CEFET das 8:00 às 12:00 hs e das 14:00 às 17:00 hs o pedido de insenção para alunos que pretendem fazer o ensino médio integrado no CEFET. É de suma importância divulgar isso para os alunos e incentivar que eles se escrevam, uma vez que o Programa está chegando ao final e o próximo passo, pelo menos para a vida escolar desses alunos, é o Ensino Médio.Documentos Necessários: 1. Cópia da Carteira de Identidade 2. Cópia da declaração que o aluno terminará o ensino fundamental esse ano (pode ser pedida na Estação ou na Coordenação Municipal); 3. Cópia da ultima conta de energia; 4. Cópia da certidão de nascimento dos filhos e/ou irmãos(dependentes); 5. Cópia de comprovante da forma de moradia (recibo de aluguel ou contrato de locação ou boleto bancário, ou imposto predial urbano, ou imposto territorial ual); 6. Cópia do comprovante atualizado de renda própria ou familiar, carteira de trabalho ou contracheque;6.1Se autônomos(Declaraçã o de instituições oficiais, igreja por exemplo).

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

PUBLICADO O PERFIL DO JOVEM NO BRASIL


Pesquisa sobre jovem brasileiro

Sonhos, medos, vontades, dúvidas e certezas do jovem brasileiro. Com esse ambicioso título, a Folha de S.Paulo divulgou o perfil da geração entre 16 e 25 anos. A pesquisa do Datafolha fez 120 perguntas a 1.541 entrevistados, em 168 cidades do País e, com base nos resultados, traçou um retrato de 35 milhões de pessoas (19% da população), sobre as quais repousam as esperanças de um futuro melhor para o País.Dois dados são desanimadores. Enquanto parcelas de 21% e 17% consideram a violência como o maior problema, respectivamente, do mundo e do País, apenas 1% sonha com um mundo em paz. Sinal de acomodação, de aceitação passiva da realidade? Os números provocaram indagações e opiniões amargas, sintetizadas com perfeição numa manchete de página interna do mesmo suplemento, que proclama: "A economia soterrou o sonho".O dado principal para o desânimo é o valor dado à soma dos quesitos trabalhar/formar-se numa profissão, ter emprego, ter negócio próprio e ser bem-sucedido, que se aproxima do índice de 40%. Isso mesmo: a carreira profissional e a renda dela advinda (com tudo que representa em conforto, segurança, etc) é a aspiração de menos da metade dos jovens brasileiros que, quanto ao grau de ensino, se dividem em fundamental (22%), médio (63%) e superior (14%). Na faixa dos 16 e 17 anos, uma maioria de 34% tem como aspiração formar-se numa profissão, enquanto o maior desejo, para os que têm entre 22 e 25 anos é a realização profissional (17%). Anseios compreensíveis de ascensão social e econômica, quando se leva em conta que 73% dos jovens vivem em famílias com renda abaixo dos cinco mínimos. Mas o que fazem e como planejam concretizar seus objetivos? Mais da metade (54%) estuda e aqui surge um dado interessante (pelo menos na quantidade): 91% dos garotos de 16 e 17 anos estão na escola. Mas a ducha de água gelada vem em seguida: 54% dos jovens repetiram de ano - um fracasso ainda mais grave quando se considera a baixíssima qualidade do sistema educacional brasileiro e as frágeis provas escolares de avaliação. Em outras palavras, esses lamentáveis 54% levantam uma dúvida: o que aconteceria se as escolas oferecessem ensino de melhor qualidade, com maior exigência e professores melhor capacitados? A pesquisa do Datafolha não só lança luz sobre uma realidade cinzenta, mas também mostra a necessidade de se oferecer aos jovens meios eficazes para que possam conquistar seus sonhos. Alguns depoimentos publicados no suplemento traduzem a saga dos que buscam o primeiro emprego, tendo de enfrentar, já de início, uma taxa de desemprego que abarca quase metade dos jovens entre 16 e 25 anos. Em seguida, vêm as alegadas falta de experiência profissional e de competências indispensáveis para quase todas as vagas - conhecimentos de informática e de outro idioma -, além de atitudes como disciplina, vontade de aprender, trabalho em equipe. Outra pesquisa, esta do instituto TNS InterScience, mostra que o estágio é um promissor caminho para milhares de estudantes que conseguiram treinamento prático em empresas: 64% dos estagiários do CIEE conquistam a tão sonhada carteira assinada. Sem considerar seu valor como fator de desenvolvimento pessoal, educacional e profissional dos novos talentos, o estágio merece o lugar que conquistou na mente e corações dos estudantes. E que, felizmente, vem ocupando no planejamento estratégico de um número crescente de empresas.
Fonte: Folha / Yahoo

terça-feira, 5 de agosto de 2008

UMA LEI PARA COIBIR FALHAS NA EDUCAÇÃO

05/08/2008 16:10:27
Responsabilidade e gestão eficiente são aspectos que afetam a qualidade da educação e foram temas da abertura do Seminário Ética e Responsabilidade na Educação: Compromisso e Resultados, nesta terça-feira, 5, na Câmara dos Deputados, em Brasília.
“O que fazer se verificarmos que numa escola ou rede de ensino o avanço não ocorre, mesmo com o apoio da União?” — questionou o ministro da educação, Fernando Haddad. Para ele, o seminário pode ajudar a encontrar respostas e medidas a serem tomadas quando as metas de qualidade previstas pelo Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) forem reiteradamente descumpridas.
De acordo com Haddad, desde o lançamento do PDE, em abril de 2007, criou-se um movimento pela melhoria da educação que envolve desde os profissionais que trabalham na escola até altos dirigentes federais. Haddad lembrou que 80,7% dos municípios cumpriram as metas do plano para as séries iniciais do ensino fundamental e 91,5% dos 1.242 municípios considerados prioritários também alcançaram melhores indicadores educacionais com o apoio técnico e/ou financeiro do MEC.
Para Haddad, os dados retratam um verdadeiro mutirão pela melhoria da qualidade da educação, mas, diz o ministro, esse movimento precisa de muitas providências para ser sustentável. “Uma delas é a lei de responsabilidade educacional”, destacou.
Propostas apresentadas durante o seminário embasarão a elaboração de uma lei de responsabilidade educacional. O instrumento buscará coibir falhas na aplicação dos recursos destinados à educação, na gestão escolar, na aquisição de bens e serviços e na administração do corpo docente, entre outras medidas.
Haddad observou que, se hoje os responsáveis pelas contas públicas que descumprem a legislação são identificados e punidos, é difícil verificar os responsáveis pela má qualidade da educação. “Hoje essa responsabilidade é muito difusa. Precisamos compreender a cadeia de responsabilização na educação”, disse.
De acordo com o representante do movimento Todos Pela Educação, Mozart Neves, para combater a corrupção nas escolas não basta promover por meio da lei a boa gestão dos recursos. Também é fundamental, segundo ele, mudar atitudes dos responsáveis pelo ensino. “É preciso banir vícios e estimular uma atitude ética de professores e diretores”, alertou. Mozart defendeu a escolha democrática de diretores, o comprometimento do trabalho da equipe escolar e o aumento de investimentos na área para melhorar a qualidade do ensino. “O Brasil investe em educação sete vezes menos que a comunidade européia e nove vezes menos que os Estados Unidos”, afirmou.
O seminário é resultado de parceria entre a Comissão de Educação e Cultura da Câmara, a Unesco no Brasil e o Movimento Todos Pela Educação.
Maria Clara Machado

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

SORTEIO E FORMAÇÃO DA TABELA DE JOGOS REFERENTE AO P.L.A. DO TORRES DE MELO E BELARMINA CAMPOS

TABELA DO CAMPEONATO PELA PAZ
DATA*
HORÁRIO
LOCAL
ATIVIDADE / JOGOS
30/07/08
18:30
Escola Torres de Melo
Abertura do CAMPEONATO
PROGRAMAÇÃO:
-Peça de Teatro;
-Apresentação Musical;
-Abertura Oficial (sorteio das chaves);
Jogos:
Time Am (MUCURIPE) x Time Bm(GAVIÕES DA FIEL) – Chave1m
Time Cm(SÃO PAULO) x Time Dm(JANGADEIRO) – Chave2m
Time Af(TIME MONALISA) x Time Bf(ESPERANÇA) – Chave1f
01/08/08
18:00
Escola Torres de Melo
Time Em(RCS FUTSAL) x Time Fm(TABAJARA F. CLUBE) – Chave3m
Time Gm(OS PEBAS) x Time Hm(FORÇA JOVEM) – Chave4m
06/08/08
18:00
Escola Torres de Melo
Time Im (VENCENDO A VIOLÊNCIA)x Time Jm(REAL MADRID) – Chave5m
Time Lm(REVOLUÇÃO JOVEM) x Time Mm(PROJOVEM E. CLUBE)– Chave6m
07/08/08
18:00
Escola Torres de Melo
Time Nm (SPORT FUTEBOL) x Time Om (AMIGOS CLUBE) – Chave7m
Time Pm(CAFAZ)x Time Qm(TIME DO AFRÂNIO) – Chave8m
13/08/08
18:00
Escola Torres de Melo
Chave 1m__________________ x Chave 2m__________________ – Grupo Am
Chave 3m___________________ x Chave 4m_________________ – Grupo Bm
14/08/08
18:00
Escola Torres de Melo
Chave 5m___________________ x Chave 6m_________________ – Grupo Cm
Time Af(TIME MONALISA) x Time Cf(TIME DA LEILA)
20/08/08
18:20
Escola Torres de Melo
Time Bf (ESPERANÇA) x Time Cf(TIME DA LEILA)
21/08/08
18:20
Escola Torres de Melo
Chave 7m___________________ x Chave 8m_________________ – Grupo Dm
27/08/08
18:20
Escola Torres de Melo
Grupo Am___________________ x Grupo Bm__________________ – Final 1m
28/08/08
18:20
Escola Torres de Melo
Grupo Cm___________________ x Grupo Dm__________________ – Final 2m
03/09/08
19:00
Beira Mar e Escola Torres de Melo
CAMINHADA PELA PAZ
E GRANDE FINAL
FINAL 1f_____________________ x FINAL 2f___________________
FINAL 1m___________________ x FINAL 2m___________________
*Passível de alteração / * m – masculino / * f – feminino

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Como é trabalhar com os jovens na confecção de um jornal?



  • O PAPEL DOS EDUCADORES NA CONFECÇÃO DE UM JORNAL ESCOLAR


    O processo de confecção do jornal é algo prazeroso, dinâmico, onde os alunos expõem o que estão sentindo, vendo e acima de tudo fazendo com que compreendam que podem verbalizar suas idéias, seus desejos e mais ainda aparecem, crescem junto com a gente. Onde constatamos o que está sendo absorvido, e principalmente sentimos que as coisas estão sendo captadas.
    Trabalhamos da seguinte maneira:
    *Fazemos as tarefas sempre com o olhar de repórter, e pedimos a participação dos alunos, dando opinião, sugestões, vendo como eles se colocam perante suas escritas e falas, com o intuito de incentivá-los a tudo o que forem fazer que façam com o olhar crítico. Pois esse olhar é que nos faz vermos adiante, e que esse trabalho poderá ser visto por outros.
    *A confecção do jornal se dá sem dor, fluem normalmente, os professores trabalham como um membro de uma equipe, pegam os assuntos e através de seus talentos, escolhem o que querem trabalhar: poesias, músicas, quadrinhos, cruzadinha, textos, desenhos, etc.
    *Quando escolhemos os trabalhamos junto com eles, partimos para as correções, que são feitas por eles, onde através de uma leitura em conjunto mostramos que o trabalho pode ser melhorado e corrigido, para então ser digitado e editado.
    *Os alunos no processo da confecção do jornal crescem se orgulham vendo seus trabalhos sendo divulgados, sendo lidos por outros, se sentem lisonjeados. Perdem seus medos e insegurança com a escrita e as leituras, capricham, pedindo que os professores corrijam seus trabalhos, querendo fazer bonito.
    *O jornal foi lido pelos alunos, os quais mostram para os colegas, onde a auto-estima surge, onde muitas vezes esta já está perdida, longe deles. Ficam curiosos, e acreditando que nem tudo está perdido, e que são capazes de fazer algo útil, onde alguém vai ler ver.
    *A distribuição se deu em sala onde os alunos levaram para os amigos e familiares, dizendo do que eles capazes, tanto a família quanto eles mesmos, já nem sabiam do que possível fazer. *Mostrar para os outros o resultado de um trabalho, que pra eles estava longe, e nós fizemos possível o impossível.
    *Para o nosso Núcleo, ficamos espantados, quando o jornal apareceu, pois só vimos às dificuldades, não vimos os prazeres, não acreditávamos nos potenciais, não acreditávamos no que eles e nós seríamos capazes. Erramos, graças a Deus, pois hoje, nossos medos sumiram.
    *Foi algo incrível a potencialidade e criatividade desses alunos, nós amadurecemos, aprendemos, e acima de tudo passamos a acreditar ainda mais neles e em nós mesmos. Vimos que a educação é algo que nos surpreendem e aumenta a cada dia nosso desejo de seguir em frente e vendo que é através da educação que fazemos o diferencial.


    Grupo de professores que formam o Núcleo Torres de Melo – Estação Mucuripe

LANÇAMENTO DO PLA DOS NÚCLEOS - TORRES DE MELO E BELARMINA CAMPOS














No dia 10 do mês de julho, houve o lançamento do Plano de Ação Comunitária da 3ª turma do Projovem dos Núcleos: Torres de Melo e Belarmina Campos da Estação Mucuripe,no largo da Igreja Nossa Senhora da Saúde na Av. Abolição, Bairro Mucuripe.



Durante o evento houve amostras de teatro com o grupo Força Jovem, grupo de capoeira, apresentação de quadrilha, nos quais os alunos faziam parte, além se bingos de cestas básicas para toda a comunidade presente.



O tema deste ano dos P.L.A.s, escolhidos pelos alunos e com a colaboração das Assistentes Sociais, Priscila Borges e Maria dos Anjos, foi a violência, mostrando que os próprios jovens notam como este tema tem que ser debatido e trabalhado por todos.




PLANO DE AÇÃO COMUNITÁRIA
NÚCLEO: TORRES DE MELO – TURMA B e E
Título do PLA: JUNTOS COMBATENDO A VIOLÊNCIA
Foco da Ação Comunitária: Violência na comunidade.
Justificativa: A nossa comunidade é bastante violenta. O nosso PLA visa diminuir os índices de violência, principalmente com os jovens, que vem se envolvendo com os diversos tipos de violência, muitas vezes no mundo das drogas, pois não têm com que ocupar a mente. Muitas vezes só pensamos em lutar por segurança e esquecemos que precisamos dela porque não fazemos nada para acabar com a violência. Precisamos nos planejar e se organizar para vencer essa questão.
Portanto, acreditamos que o começo será uma grande e organizada caminhada pela paz, que possa ser o início de uma nova era. Os desafios serão vários, como ingresso da própria comunidade nesta idéia mas isso servirá para que usemos nossas criatividades e contagie assim a todos com o espírito da paz.
Objetivos Gerais: Levar a toda comunidade a discussão sobre a importância de se cultivar a paz realizando uma caminhada pela paz e para alertar realizaremos uma prévia panfletagem.




PLANO DE AÇÃO COMUNITÁRIA
NÚCLEO: TORRES DE MELO2 – TURMA A e C
Título do PLA: VAMOS COMBATER A VIOLÊNCIA
Foco da Ação Comunitária: Violência
Justificativa: Escolhemos como foco da nossa ação a violência pelas seguintes razões: ela vem crescendo a cada dia que pasa, vem destruindo muitas vidas, está deixando cada vez mais todos assustados e inseguros. Os nossos jovens precisam tomar uma atitude e procurar pelo menos amenizar essa situação, pois o jovem de hoje é o idoso de amanhã.
O número de mortes é muito grande. A violência está tomando conta dos jovens. Desafios serão grandes e para tanto realizaremos um campeonato esportivo e atividades culturais que tem como meta alcançar a paz, fazendo com que os jovens combatam a violência através do esporte.
Com o nosso PLA na comunidade queremos baixar a violência, que está muito alta e o nosso desafio maior é conquistar esse jovem usando como arma o esporte, pela paz.
Objetivos Gerais: Amenizar o problema da violência na nossa comunidade levando mensagens para os jovens através de atividades esportivas e culturais para mostrar que a violência não vale a pena e mostrar o caminho da paz.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

ENTREVISTA COM MARIA JOSÉ FERES - COORDENADORA DO PROJOVEM

“O Programa Primeiro Emprego não foi modelo para o PRO-JOVEM”, e nem “uma eventual derrota eleitoral do governo Lula pode interromper o programa”. As inscrições foram abertas no dia 25 de maio, e continuam até o dia 2 de junho, e nos dia 4 de julho as aulas já começarão. Essas foram algumas das afirmações feitas pela coordenadora do programa em entrevista exclusiva ao Falando em Política, no dia em que a Medida Provisória foi aprovada pela Câmara.
Maria José Feres vem desde 2004 trabalhando na Secretaria Geral da Presidência para estruturar o PRO-JOVEM. Já tendo trabalhado como Secretária Adjunta de Educação do Estado de Minas Gerais (gestão Itamar Franco) e Secretária da Educação Infantil e Fundamental do MEC (gestão Cristovam Buarque), aproveitou a oportunidade para inovar na proposta educacional de um programa. Em uma entrevista exclusiva ao Falando em Política no dia em que a MP foi aprovada na Câmara, a coordenadora cedeu ricas informações sobre o programa, que podem ajudar a entendê-lo melhor.
1. Por que essas capitais que irão iniciar o PRO-JOVEM e não outras e quais são as secretarias responsáveis pelo programa nos municípios?
Maria José Ferés: O critério foi operacional. Acontece que tinha que começar por algumas, não dava para começar com todas de uma vez. Daí usamos um critério regional. No caso do Sudeste, serão Rio e Belo Horizonte, começando com 1.200. No Nordeste, Recife, Fortaleza e Salvador começam com 1.200. E no Sul pelo Rio Grande do Sul com 1.200. Agora, a partir de agosto e início de setembro, aí a gente vai ter uma entrada grande, uns 85 mil alunos praticamente em todas as capitais, não tenho certeza se São Paulo já está incluída nessa leva ou na próxima. Em São Paulo a demanda é muito grande, tem muita diversidade. A maior demanda é de São Paulo, que sozinha tem 90 mil jovens, dos 400 mil que o PRO-JOVEM atenderá. [Em relação as secretarias:] No Rio é a de Assistência Social, em Porto Alegre é a de Juventude, Belo Horizonte é Educação. Agora, todos eles, mesmo as prefeituras que não têm uma política de juventude mais sólida, têm mandado coordenadores, representantes para as reuniões, quer dizer, isso vai incentivar a prefeitura a ter uma estrutura voltada para juventude.
2. Como funcionarão os Fóruns de Acompanhamento do PRO-JOVEM? A participação dos alunos é garantida
MSF: Haverá um para cada Estação da Juventude, um Fórum Municipal e um Fórum Nacional. A cada 1.200 alunos haverá um Fórum nas estações juventudes com o objetivo de discutir questões pedagógicas, aproveitamento dos alunos, se há evasão, se não há evasão. Será um Fórum composto pelos administradores, professores e alunos. [E a participação dos alunos] Garantidíssima, inclusive os alunos que tiverem, por exemplo, seu benefício suspenso por falta de freqüência nas aulas, têm o direito de recorrer, e o recurso é levado justamente ao Fórum da Estação Juventude. O Fórum Municipal é uma forma de você ter um colegiado que organiza as discussões no município, principalmente onde vocês têm os municípios maiores, em que é necessário organizar as várias estações juventude. E o Fórum Nacional é composto de um representante de cada município mais a coordenação nacional do PRO-JOVEM.
3. E no Fórum Nacional a representação do município será sempre da Prefeitura?
MSF: Só pode ser. Mesmo que ele seja contratado especificamente para isso pela Prefeitura, ele vai estar em nome da Prefeitura.
4. No caso, qual seriam os critérios de participação para o aluno? Os alunos que decidem quem vai representá-los no Fórum?
MSF: Isso ainda estamos discutindo, para definir como vai ser. Mas imagino que vá ser assim, os alunos decidindo seus representantes no Fórum.
5. Em relação à Estação Juventude, qual que é a estrutura exatamente que está sendo pensada para ela?
MSF: A estrutura é a seguinte: a Estação Juventude é o espaço de referência que envolve 8 núcleos. Vai ter um espaço físico onde vai ter informática, vai ter vídeo, televisão, atividades culturais, debates.
6. Tem algo em comum com o Espaço da Juventude do Primeiro Emprego? O que difere na proposta?
MSF: Eu não sei, porque eu não conheço o Primeiro Emprego. Mas esse programa não tem nada a ver com o Primeiro Emprego. É para ser um espaço mesmo de referência, de encontro, de ter contato com sites, de poder se comunicar com jovens de outras regiões do país, de ter atividades nesse espaço. Agora mesmo fizemos um acordo com a Fundação Roberto Marinho para ajudar na Estação Juventude. Eles vão colocar alguns acervos na Estação Juventude, por exemplo, de educação sexual, combate à droga, tem mais também. Vão disponibilizar o Canal Futura na Estação Juventude. E vão ajudar também no calendário de atividades.

domingo, 6 de julho de 2008

ARRAIÁ DOS PROFESSORES DA ESTAÇÃO MUCURIPE





















"Êta festança danada de boa", definição do nosso arraiá que se realizou no dia 03/07/2008 no Bar da Rita.
Fechamos a rua so para a festança que teve brincadeiras com direito a prendas, Apresentação das comadres ffofoqueiras da estação, quadrilha das criançãs do bairro, quadrilha de jovens do bairro Mucuripe e como não poderia deixar de ter uma maravilhosa e divertida quadrilha improvisada com os professores, teve até prêmio de "1 milhão" para o Prof. Vanderlei que fez uma doação do prêmio integral para a Estação Messejana na pessoa do coordenador pedagógico, Prof. Flávio que se fez presente em nossa festança.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

SOLENIDADE DE LANÇAMENTO DOS JORNAIS DO PROJOVEM










No dia 26 de Junho, houve o lançamento dos jornais de todos os jornais do Projovem em uma solenidade no Passo Municipal com um delicioso café da manhã e contou com a presença de professores, alunos e dirigentes do Projovem de Fortaleza.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

FEIRÃO DA SOLIDARIEDADE

FEIRÃO DA SOLIDARIEDADE
Hoje homenageamos todos os organizadores e colaboradores, da grande feira que aconteceu na Praça do Ferreira nesta quarta feira (21/05/08), Estação Juventude, professores e alunos do Projovem de Fortaleza foi um trabalho que merece nosso destaque pois rendeu muito para todos, principalmente consciência e solidariedade para nossos jovens. O sucesso nas vendas pode vir a ser um incentivo para uma vida melhor com perspectiva de trabalho e inserção social.
"Este trabalho possibilitou aos jovens, ações que ampliam sua visão de mundo além de ser uma atividade que mobiliza conhecimentos múltiplos e troca de saberes e habilidades. Poderíamos repetir o evento no final do programa" Betânia Rocha.(Formadora da estação Mucuripe e professora da U.F.C.).
Não podemos deixar de falar na entrevista maravilhosa que a nossa competentíssima, Maria Wildma Moreira, professora de ciências humanas do núcleo Torres de Melo, concedeu à TV Diário, enfatizando bem nossos objetivos com este projeto de inclusão social.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Equipes dos núcleos Torres de Melo e Belarmina Campos Na feira de Econômia Solidária, que se realizou no dia 08 de maio na Praça da igreja Nossa Senhora da Saúde.
Toda a equipe de colaboradores (Professores e coordenadores)